ANMA participa de seminário no IPHAN e debate a adoção do ioruba como referência cultural no País

Texto: Sérgio d´Giyan

 

 

A Associação Nacional de Mídia Afro participou na última segunda-feira do Seminário: “Ioruba: Idioma Africano, Identidade Brasileira”, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional – IPHAN. O evento serviu para se discutir a adoção do idioma iorubá no INDL – Inventário Nacional de Diversidade Linguística, o primeiro idioma africano a obter essa chancela como referência cultural do País.

O seminário vem atender a solicitação da ANMA no processo de adoção do idioma iorubá ao INDL, e constitui uma das etapas para patrimonialização do idioma pelo Instituto.

Diretores da ANMA, Sérgio Carvalho e Márcio Righetti
Diretores da ANMA, Sérgio Carvalho e Márcio Righetti

O Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL), foi criado em 2010, como instrumento oficial de identificação, documentação, reconhecimento e valorização das línguas faladas pelos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, e já catalogou diversos idiomas, principalmente, de origem indígena. O ioruba se torna então o primeiro idioma de matriz africana a ser catalogado pelo IPHAN.

O professor, escritor, babalorixá e presidente da ANMA, Marcio Righetti ministrou a palestra que apresentou a importância do idioma na liturgia das religiões de matriz africana, seu uso nas cantigas e nas referências aos instrumentos rituais e sua conexão com o sagrado.

O diretor de Cultura e de Comunicação, Sérgio Carvalho, proferiu palestra sobre as atividades realizadas pela ANMA desde sua criação.

Pelo IPHAN, a superintendente regional Mônica Costa abriu o seminário discursando sobre a necessidade da realização do seminário no processo da adoção do idioma no INDL. Segundo Mônica, essa é a primeira iniciativa em todo o Brasil no que diz respeito a um idioma africano. Segundo orientações dos próprios técnicos da instituição, como é uma ação pioneira, a recomendação foi tratar a língua dos “nagôs” como paradigma, para que a ANMA possa, em seguida, incluir também outros idiomas.

Presente ao evento, representante do ministério da cultura, da Diretoria de Patrimônio Imaterial do IPHAN, em Brasília, e técnicos do INDL registraram a importância da preservação de bens que contribuíram para a preservação da cultura afro-brasileira.

Pai Renato de Obaluiayé faz homenagem a Mãe Beata
Pai Renato de Obaluiayé faz homenagem a Mãe Beata

O vice-presidente da ANMA, Pai Renato de Obaluaiyé, deu início ao seminário fazendo uma homenagem póstuma a Mãe Beata de Iyemanjá. Com todos os presentes em pé, foi feito um minuto de silêncio à sua trajetória e sua importância relevante para a religião de matriz africana.

O evento finalizou com um debate entre os palestrantes e o público que lotou o auditório do IPHAN.

Ao final do evento, a diretoria da ANMA foi abordada por uma participante que nos informou a respeito da repercussão da notícia do falecimento de Mãe Beata ter causado reações negativas no âmbito das redes sociais. A Associação de Mídia Afro deve se reunir em breve para avaliar e discutir quais ações serão deliberadas para coibir mais esse caso de intolerância religiosa.

Estudiosos e interessados no assunto estiveram presentes ao evento
Estudiosos e interessados no assunto estiveram presentes ao evento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *